Intervalos

Intervalo é a relação ou distância sonora, diferença de altura, entre duas notas, considerando como unidade de medidas o tom e o semitom. Na música ocidental, os intervalos são estudados a partir da divisão diatônica da escala e são classificados conforme à simultaneidade ou não dos sons e à distância entre eles.

Para entender melhor vamos tomar como exemplo a escala de Dó maior (abaixo) que é formada pelas notas C – D – E – F – G – A – B. Para cada nota iremos atribuir um grau:

Neste exempro o intervalo formado entre a nota Dó e a nota Lá será um intervalo de “sexta”. Entre Dó e Sol, será de Quinta e assim por diante.

O primeiro grau de uma escala é chamado de TÔNICA.

Os intervalos podem ser simples ou compostos.
Intervalos simples são aqueles que ocorrem na mesma oitava, conforme vista anteriormente, já os intervalos compostos ocorrem entre oitavas, por exemplo, entre em um Dó e um Ré da mesma oitava nós temos um intervalo de 2ª, já entre um Dó e um Ré (uma oitava acima) temos um intervalo de 9ª.

O 8º Grau é a repetição do 1º grau (Tônica) uma oitava acima.

Os intervalos compostos mais importantes são o de 9ª, 11ª e 13ª que são, respectivamente as oitavas dos intervalos de 2ª, 4ª e 6ª. São corriqueiramente encontrados como notas acrescentadas aos acordes, já os demais intervalos não constumam ser utilizados na nomemclatura dos acordes, uma vez que já fazem parte da estrutura base da formação de acordes tríades e tétrades e por esse motivo normalmente são chamados pelo nome dos intervalos simples.